19 de fevereiro de 2021

Juiz Claudemiro Avelino contribuirá com acervo da AMB no Museu do STF

Convite foi realizado após a entidade de classe conhecer o trabalho do magistrado, que viabilizou a criação do Centro Cultural e Memória do Judiciário de Alagoas

Arquivo Pessoal

Juiz Claudemiro Avelino

O juiz de Alagoas e historiador Claudemiro Avelino contribuirá para viabilizar a ala da Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) no Museu do Supremo Tribunal Federal (STF), ora em processo de ampliação. O magistrado foi convidado pela associação para integrar a equipe de trabalho que está fazendo o levantamento da memória dos tribunais, associações e magistratura do país.

Na semana passada, acompanhado do juiz Ney Alcântara, vice-presidente de Prerrogativas da AMB, o magistrado Claudemiro Avelino conheceu os materiais históricos da entidade de classe e deu início a catalogação dos bens e do rico acervo existente no arquivo.

“Dei sugestões na parte da estrutura do museológica em si e da exposição, falei sobre a necessidade de maquetes táteis, totens eletrônicos, telas de exibição, mandei separar os documentários históricos que a AMB já tem em seus arquivos e estamos movimentando a turma para conseguirmos montar o espaço à altura do que a AMB merece”, contou o magistrado.

O Museu do STF foi inaugurado em 18 de setembro de 1978, data comemorativa dos 150 anos da Corte. O acervo é composto por condecorações, documentos e móveis históricos, fotografias e objetos museológicos como presentes protocolares, tapeçarias, vestimentas, objetos de uso pessoal de ministros e obras de arte. Desde a gestão do ministro Dias Toffoli, o museu está em processo de ampliação.

Centro de Cultura e Memória do Judiciário de Alagoas

Trabalho do juiz Claudemiro Avelino resultou no acervo do Centro Cultural e de Memória do Poder Judiciário de Alagoas

Após a inauguração do Centro de Cultura e Memória do Poder Judiciário de Alagoas, em janeiro deste ano, a pesquisa do magistrado Claudemiro Avelino sobre a Justiça brasileira ganhou destaque nacional. Os mais de 10 anos dos seus estudos rendeu a maior parte do acervo do museu local.

“O convite surgiu depois que eles souberam desse trabalho nosso aqui. Nós utilizamos o aspecto da interconectividade, que deixou mais interativo, com multimídia para fazer a apresentação do museu para a sociedade. Esse método já é feito em vários outros museus do país e não quisemos ficar para trás, lutamos para ter esse aspecto multimídia, sobretudo para atrair a turma mais jovem”, comentou.

O magistrado Claudemiro Avelino é o curador do memorial. A montagem do museu teve consultoria técnica da arquiteta Adriana Guimarães, que atua na área de preservação e restauração de patrimônio cultural, e também da arquiteta Carla Cansanção. O projeto arquitetônico de reforma do prédio centenário foi realizado pelas arquitetas Cláudia Lisboa e Clarice Gavazza. A servidora do TJAL, Irina Costa, coordena o museu.

Devido às medidas impostas pelas autoridades sanitárias para prevenção do contágio da Covid-19, o centro cultural ainda não está aberto ao público.

Equipe de trabalho da AMB em visita ao Museu do STF

 

Espaço onde será implantada a ala da AMB

 

Maquete do Museu do STF

Autor: Ascom Almagis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *