28 de agosto de 2020

Almagis parabeniza aumento de produtividade dos magistrados pelo segundo ano consecutivo

Em 2019, média de processos baixados por magistrados ficou em 1.611 de acordo com o Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça

Adaptação da capa do relatório Justiça em Números do CNJ.

A Associação Alagoana de Magistrados (Almagis) parabeniza seus associados pelo aumento de produtividade, pelo segundo ano consecutivo. Divulgado na última terça-feira (25), o relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Justiça em Números 2020 (ano-base 2019),  apontou que a média de processos baixados por magistrado foi de 1.611.

No Justiça em Números 2019 (ano-base 2018), o Índice de Produtividade dos Magistrados (IPM) havia sido de 1.418. Já no relatório de 2018 (ano-base 2017), o índice foi de 1.223. Para o presidente da Almagis, juiz Sóstenes Andrade, o resultado apresentado é fruto do compromisso da magistratura com a sociedade alagoana.

Atualmente, o Tribunal de Justiça de Alagoas aparece na quarta posição entre as cortes de pequeno porte, atrás apenas dos Tribunais de Justiça de Rondônia (2.261), Sergipe (2.233) e Mato Grosso do Sul (1.922). No ranking com todos os TJs do país, o TJAL ocupa a 14ª posição.

“O aumento nesse índice quer dizer que mais processos já passaram pela sentença ou foram solucionados definitivamente”, explicou o assessor-chefe da Assessoria de Planejamento e Modernização do Poder Judiciário de Alagoas (APMP), Clóvis Gomes.

Arte: Anderson Moreira

Para o presidente do TJAL, Tutmés Airan, o aumento na produtividade beneficia o jurisdicionado. “Isso é reflexo do trabalho de magistrados e servidores. Trabalhou-se mais, julgou-se mais e arquivou-se mais. Fazendo isso você, consequentemente, atende mais ao jurisdicionado”.

O desembargador reforçou a necessidade de magistrados e servidores criarem rotinas dentro das unidades para alimentarem corretamente o Sistema de Automação da Justiça (SAJ). “Muitas vezes se julga o processo, se arquiva, mas não se atualiza a situação no sistema. Então, é preciso criar a consciência da importância do adequado preenchimento do SAJ”.

Teletrabalho na pandemia

Durante o teletrabalho imposto pela pandemia da Covid-19, o Poder Judiciário alagoano vem alcançando destaque nacional de acordo com os dados do Painel de Produtividade Semanal do Poder Judiciário, também do CNJ.

Até o dia 30 de julho deste ano, a média de sentenças e acórdãos por magistrados de Alagoas foi de 758, ficando em primeiro lugar entre os tribunais de pequeno porte. No ranking geral, ficou atrás apenas dos Tribunais de Justiça do Rio de Janeiro (877) e da Bahia (799).

 

Autor: Ascom Almagis, com informações do TJAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *